INFORMAÇÃO É FORMAÇÃO

segunda-feira, 5 de novembro de 2007

A politica como campo de consenso

Agradeço a tua visita e comentários.
O termo política é derivado do grego antigo πολιτεία (politeía), que indicava todos os procedimentos relativos à pólis, ou cidade-Estado. Por extensão, poderia significar tanto cidade-Estado quanto sociedade, comunidade, colectividade e outras definições referentes à vida urbana. O livro de Platão traduzido como "A República" é, no original, intitulado "Πολιτεία" (Politeía) .
O homem é um animal político.Em seis acepções, senão mais, é entendido e empregado o termo política. No uso trivial, vago e às vezes um tanto pejorativo, política, como substantivo ou adjectivo, compreende as acções, comportamentos, intuitos, manobras, entendimentos e desentendimentos dos homens (os políticos) para conquistar o poder, ou uma parcela dele, ou um lugar nele: eleições, campanhas eleitorais, comícios, lutas de partidos etc.;
Em seis acepções, senão mais, é entendido e empregado o termo política. No uso trivial, vago e às vezes um tanto pejorativo, política, como substantivo ou adjectivo, compreende as acções, comportamentos, intuitos, manobras, entendimentos e desentendimentos dos homens (os políticos) para conquistar o poder, ou uma parcela dele, ou um lugar nele: eleições, campanhas eleitorais, comícios, lutas de partidos etc.; Política denomina-se a orientação ou a atitude de um governo em relação a certos assuntos e problemas de interesse público: política financeira, política educacional, política social, política do café etc.; A politica como campo de consenso vai espelhar-se na discussão de estratégias que visam o cumprimento dos objectivos delineados de forma horizontal e centraliza o sector publico no impacto das accoes por meio da implementação de programas efectivos e praticas de gestão concebíveis.Cabe aos políticos a responsabilidade de decidir em fórum próprio as prioridades da sociedade, como campo de consenso não se compadece com a corrupção política significa o uso ilegal - por parte de governantes, funcionários públicos e agentes privados - do poder político e financeiro de organismos ou agências governamentais com o objectivo de transferir renda pública ou privada de maneira criminosa para determinados indivíduos ou grupos de indivíduos ligados por quaisquer laços de interesse comum – como, por exemplo, negócios, localidade de moradia, etnia ou de fé religiosa.Em toda as sociedades humanas existem pessoas que agem segundo as leis e normas reconhecidas como legais do ponto de vista constitucional.

No entanto, também existem pessoas que não reconhecem e desrespeitam essas leis e normas para obter benefício pessoal. Essas pessoas são conhecidas sob o nome comum de criminosos. No crime de corrupção política, os criminosos – ao invés de assassinatos, roubos e furtos - utilizam posições de poder estabelecidas no jogo político normal da sociedade para realizar actos ilegais contra a sociedade como um todo. O uso de um cargo para estes fins é também conhecido como tráfico de influência.
A corrupção ocorre não só através de crimes subsidiários como, por exemplo, os crimes de suborno (para o acesso ilegal ao dinheiro cobrado como impostos, taxas e tributos) e do nepotismo (nomeação de parentes e amigos aos cargos de administração pública). O ato de um político se beneficiar de fundos públicos de uma maneira outra que a não prescrita em lei – isto é, através de seus salários - também é corrupção.
Todos os governos são afectados por crimes de corrupção, desde uma simples obtenção e doação de favores como acesso privilegiado a bens ou serviços públicos em troca de amizade até o pagamento superfaturado de obras e serviços públicos para empresas privadas em troca do retorno de um percentual do pagamento para o governante ou para o funcionário público (seja ele ou não seja ele uma figura preposta do governante) que determina o pagamento, aborda o poder gerado numa sociedade politicamente organizada e estruturada, quando exercido como coação, assim a democracia institucional(ponte para obtenção do consenso politico) é uma linha da ciência política que se opõe parcialmente à participativa por defender que é praticamente impossível nos dias actuais que todos os cidadãos possam participar activamente do jogo político.

O consenso politico pode ser de cariz interno e externo, o consenso politico vai se caracterizar no entendimento na concepção da ética, moral, da capacidade de dedução que determina o objectivismo do politico Qualidade atribuída a acções e obras humanas que lhes confere um carácter moral para que se beneficia e auxilia o progresso do homem do ponto de vista moral e social.

Sem comentários: