INFORMAÇÃO É FORMAÇÃO

segunda-feira, 30 de junho de 2008

QUANDO FALHAMOS PELA DIMENSÃO DAS PALAVRAS

“ Reflexão baseada na sabedoria de grandes mestres”

Certamente em uma ocasião desta vida intensa, o caro leitor já parou e reflectiu sobre uma determinada situação que envolveu a utilização de palavras não apropriadas a uma determinada vivência; Como se lê num provérbio Chinês há três coisas que nunca voltam atrás: “a flecha lançada, a palavra pronunciada, e a oportunidade perdida” quando assim acontece mergulhamo-nos em análises a nossa própria consciência como se de um livro de moral se trata-se, e nos censuramos por não lhe ter consultado, reflectimos em como o essencial é invisível aos olhos e só se vê bem com o coração; no entanto não corrigir nossas faltas é o mesmo que cometer novos erros.

A dimensão das palavras é tida pela sua simplicidade que é também considerada o último degrau da sabedoria, o percalço quando mal dimensionamos as palavras não reside apenas na falta de mérito o facto de termos falhado, mas sim o de termos nos apercebido todas as vezes que falhamos. Quando nos auto questionamos sobre a possibilidade de avaliarmos a dimensão das palavras requer saber até que ponto sabemos sugerir, ai sim… lembramo-nos que esta presente a arte de ensinar. Mas atenção…a dimensão das palavras não podem ser vistas apenas no sentido pejorativo elas são muito mais abrangentes, repara que grandes almas sempre encontraram forte oposição de mentes medíocres, o homem medíocre espera tudo dos outros, abstendo-se da humildade que é o sólido fundamento de todas as virtudes, ciente de que ao examinarmos os erros de um homem, conhecemos o seu carácter pois as palavras são a voz do coração em todas as coisas, o sucesso depende de preparação prévia, devemos procurar acima de tudo que as palavras tenham significado e reflictam o nosso pensamento pois quando as palavras perdem o significado as pessoas perdem sua liberdade, lembra-te que só os grandes sábios e os grandes ignorantes são imutáveis, pensa contigo mesmo em como ver o que é injusto e não agir com justiça é a maior das covardias humanas, o mesmo acontece com a dimensão das palavras que como todas as outras coisas na vida podemos perceber que no mundo estão colocadas em categorias, estas são as formas básicas sob as quais a realidade chega até nós, elas são a divisão máxima da realidade e seriam, equivalentemente, os vários tipos de conceitos possíveis, fragmentado no principal veículo do processo de consciencialização; é o pensamento, na dimensão das palavras a prudência é uma virtude, a virtude pondera que as palavras excedam suas acções.

“O maior prazer de um homem inteligente é bancar o idiota diante do idiota que quer bancar o inteligente”

Sem comentários: