INFORMAÇÃO É FORMAÇÃO

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

A FAMA DA INCOMPETÊNCIA NA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO

Quem dizer que nunca ouviu ou viu "a fama da incompetência" talvez esteja a faltar com a verdade. Isto porque, nos últimos tempos a fama da incompetência tem estado ligada a nós regularmente. Lembra-se da famosa frase do então senador americano Hiram Johnson, que diz:

-"A primeira vítima, quando começa a guerra, é a verdade". Pois bem, a referência a referida frase deve-se ao facto de que, nos últimos tempos quase todas sociedades parecem estar ligadas a um novo tipo de sociedade(passa a redundância) "no caso a sociedade virtual" descrita no livro Pensar Social, Exercer Cidadania.

Mas alguns talvez dirão:

- Mas nós não estamos em guerra!

Pois bem; infelizmente quem assim pensar está enganado. Sim estarão enganados, os que assim pensarem. E como redigia, infelizmente estamos em guerra sim!

Estamos na guerra da informação; dai o recurso a famosa frase do então senador americano Hiram Johnson.

Estamos em guerra sim! E quase pelo mesmos motivos que originaram as grandes guerras, no caso a ambição pelo poder.

Se a primeira guerra mundial teve como pretexto de fundo a insatisfação da partilha das então colônias, por parte de alguns países na época considerados como grandes potências mundiais, hoje devido a ligação ao mundo virtual, as grandes potências, assim como os países emergentes, incluindo os países em via de desenvolvimento, todos arrolados no mundo das tecnologias de informação e comunicação e pela ambição do poder confrontam-se numa grande guerra para o controlo da informação mundial.

Lembra-se? Informação é poder.  Assim sendo, é com base nesta mesma busca, para o domínio da informação, isto é, para serem detentores do poder, para poderem influenciar as sociedades, é com base nesta ânsia do poder da informação que nos deparamos com uma guerra sob a capa da instauração da democracia, promovida pela arma revolucionária designada "internet" e as suas inovações constantes designadas "redes sociais" que nos submetemos a fama da incompetência.

Mas se a fama da incompetência se parece tão famosa, porquê que muitos apesar de já terem convivido com ela, como podem afirmar não a conhecerem? O que é a fama da incompetência?

A fama da incompetência é nada mais, nada menos, do que as falsas informações produzidas e partilhadas na internet. Dai o paralelismo a célebre frase "A primeira vítima, quando começa a guerra, é a verdade"; pois porque em tempos da guerra da informação, onde "todos parecem falar ao mesmo tempo, produzindo ruido" somos muitos os utilizadores da internet, que é subsequentemente a plataforma das redes sociais, onde muitos entre nós utilizadores destas tecnologias, nos esquecemos de auto nos questionar, sobre como são construídas as informações que recebemos e quase que roboticamente as partilhamos sem avaliar-mos a veracidade das mesmas, ou não, e consequentemente, nos esquecemos de reflectir sobre a dimensão e as consequências que tais informações podem ter quando partilhadas por cada um de nós.

É neste frenetismo quase como inconsciente que nos encaramos, sobre pretexto da partilha de informação, que nos tornamos gratuitamente soldados promotores da fama da incompetência!

Partilhamos vídeos, partilhamos informações resultantes de boatos e falsidades, evocamos de forma desmedida o nome do senhor, desenvolvemos irracionalmente o ódio, construímos falsos amores virtuais, sem percebermos que estamos no meio de uma guerra "a guerra das sociedades da informação, onde o nosso inimigo somos nós mesmos, isto em cada instante que agimos como máquinas sem refletirmos que informação devemos consumir nas redes sociais, sem fazermos o mínimo de esforço, em pensar porquê que devo partilhar esta ou aquela informação?

E sem percebermos somos assim os promotores da fama da incompetência, porque muitas vezes acabamos por promover a mentira ideológica que nada mais é, do que a busca para conquistar o consentimento público por parte de quem emite tais informações.

É nesta realidade da fama da incompetência, por não se reflectir sobre que tipo de informações consumimos durante o processo da formação da nossa opinião, que acaba por ser uma promotora da incompetência!

*Bento José dos Santos.
Comunicólogo, Assessor Político e Social; Pesquisador e Escritor.*

Sem comentários: